Segunda, 02 Outubro 2017 12:43

Lideranças do Paranoá priorizam demandas para área rural

Discussões em grupos, um ou outro em reflexão individual, todos concentrados na hora de colocar em fichas coloridas o que a cidade mais precisa. Assim foi parte da oficina com cerca de 40 lideranças comunitárias do Paranoá na manhã deste sábado (30), como parte do projeto Câmara em Movimento – que leva o Legislativo local a todas as regiões administrativas do Distrito Federal. As dez demandas prioritárias definidas pelos moradores (ver abaixo) serão levadas aos deputados distritais no próximo dia 19, em sessão itinerante da Câmara Legislativa na localidade.

Antes de discutirem, defenderem e elegerem suas principais reivindicações, os moradores do Paranoá participaram de apresentação feita por técnicos da Escola do Legislativo da CLDF (Elegis) sobre participação social, atribuições do Legislativo e do Executivo, bem como sobre orçamento público.

"O Orçamento precisa ser participativo. A Lei Orçamentária Anual está para ser definida e precisamos trabalhar juntos", ressaltou o presidente da CLDF, deputado Joe Valle (PDT), que acompanhou parte do encontro. Ele explicou que cada um dos 24 distritais vai poder apresentar emendas ao Orçamento de 2018 no valor total de R$ 18 milhões, mas salientou, contudo, que o governo geralmente consegue executar até R$ 6 milhões.

Voz ativa – Na etapa de definição das prioridades, cada liderança indicou até três demandas, as quais foram, posteriormente, classificadas em ordem de prioridade – de um a dez – por cada um dos participantes. Antes da eleição das dez principais reivindicações, alguns moradores fizeram a defesa de suas demandas para a cidade.

O morador Edson Vaz, por exemplo, pediu a palavra para defender a regularização do Polo de Plantas, localizada em área de lixão a céu aberto, onde antes era um parque. Além da geração de emprego e renda, Vaz apontou que o polo tem "reciclado" água que era jogada fora. "Temos condição de fornecer água para os pequenos produtores. Precisamos contar com o voto de vocês", disse.

O Paranoá tem a segunda maior área rural do DF, daí não faltarem reivindicações para o setor. A moradora Marinice Rocha foi uma das pessoas a fazer a defesa de melhorias para a zona rural. "Vou ‘puxar a sardinha' para a área rural, até para desafogar os serviços na zona urbana", argumentou, apontando que a construção de creche e de posto de saúde na área rural aliviaria a pressão sobre esses equipamentos públicos que estão na cidade e melhoraria a qualidade de vida no campo. Marinice defendeu, ainda, a destinação de espaço específico para o produtor rural local.

Já o Pastor Raimundo Paz, por exemplo, defendeu a construção de quadra poliesportiva no Centro de Ensino nº 01. Segundo informou, a escola atende 2,2 mil adolescentes e ainda há mais 800 alunos da escola ao lado. "Estamos impossibilitados de ter atividade esportiva no CE nº 01", reclamou. Ele ainda pediu o voto dos presentes para a construção de ambulatórios da Saúde da Família nos três galpões da antiga feira – onde, de acordo com ele, hoje pessoas se juntam para usar drogas.

Confira as dez prioridades eleitas:

1) Regularização do Polo de Plantas

2) Destinação de espaço para construção do Galpão do Produtor Rural do Paranoá

3) Criação de postos de saúde na área rural

4) Reforma do CRAS do Paranoá

5) Reforma das escolas da região administrativa

6) Ampliação de atendimentos aos adolescentes por meio do Programa de Atenção Integral ao Adolescente (Praia)

7) Reforma e compra de insumos para o Hospital do Paranoá

8) Construção de CAPS

9) Construção de creches no Paranoá e área rural

10) Segurança Pública: construção de posto policial no Paranoá Parque

Com informações da CLDF